MÓDULO 7 / AULA 4

Interpretação dos Sonhos - Parte 04

“Os Sonhos são atos Psíquicos tão importantes quanto os outros; sua força propulsora é, na totalidade dos casos, um desejo que busca realizar-se.” (Sigmund Freud)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
1. Bezerra Jr., Benilton. Projeto para uma psicologia científica: Freud e as neurociências. RJ, Civilização Brasileira, 2013;

2. Epstein, Gerald. Imagens que curam. Campinas, SP : Livro Pleno, 1989;

3. Freud, S. (2001). A interpretação dos sonhos. (W. I. de Oliveira, Trad.). São Paulo: Imago. (Original publicado em 1900);

4. Freud. Sigmund. Publicações pré psicanalíticas e esboços inéditos. Edição Standard das Obras completas de Sigmund Freud. V. I / 24 v. (1886-1899). RJ, Imago, 1996;

5. Gamwell, Lynn; Solms, Mark. Da neurologia a psicanálise, desenhos neurológicos e diagramas da mente por Sigmund Freud. SP, Iluminuras, 2008;

6. Gabbi Jr., Osmyr Faria. Notas a projeto de uma psicologia: as origens utilitaristas da psicanálise. RJ, Imago, 2003;

7. Krippner, S. (1990). Decifrando a linguagem dos sonhos: O tempo do sonho e o trabalho com os sonhos. (O. M. Cajado, Trad.). São Paulo: Cultrix;

8. Maduenho, A. M. (2010). Nos limites da transferência: Dimensões do intransferível para a psicanálise contemporânea. Tese de Doutorado em Psicologia; Experimental, Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo;

9. Pribram, Karl; Gill, Merton. O projeto de Freud: um exame crítico. SP, Cultrix, 1976;

10. Santos, I. P. do A. (2004) Fenomenologia do onírico: a gestalt-terapia e a daseinsanálise. Psicol. cienc. prof. v.24 n.1 Brasília;

11. Solms, Mark. Freud está de volta. Scientific American / Mente & Cérebro. Duetto Ed. Set. 2004;

12. Teixeira, J. D. (2005) Sonho em Gestalt – Terapia Breve: uma vivência no aqui e agora. IGT. nº 3.

Att,
Esflup